quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Se fosse

Se tudo fosse permitido
eu beijaria a tua boca
Se tudo fosse permitido
eu andaria  nu pelas ruas
lendo meu poeta dileto
Se tudo fosse permitido
eu jogaria no ar meu excesso de realidades
Se tudo fosse permitido
eu caminharia sob a tua sombra
Se tudo fosse permitido
eu teria a tua nudez real no meu corpo
Se tudo fosse permitido
eu não teria amarras
Se tudo fosse permitido
eu sepultaria a razão com suas lógicas
Se tudo fosse permitido
eu seria a minha própria lei
no vigor da permissividade. (30/08/16)


Armadilha

de amanhã não passa ela me disse
veio o novo dia
veio o tempo
e sua promessa não se confirmou
ficou no ar a tua voz
que não me deixa esquecer o teu sorriso
e a armadilha que tu és. (13/09/16)


Meus dias de mortal

eu sou aquele que procura as flores
como se beija-flor fosse
eu sou aquele que procura as flores
antes do vento
eu sou aquele que procura as flores
que se destinaram ao abandono
eu sou aquele que procura as flores
enquanto o tempo não passa
eu sou aquele que procura as flores
que guardam o teu cheiro
eu sou aquele que procura as flores
possuidoras do teu silêncio
eu sou aquele que procura as flores
da cor dos teu lábios
eu sou aquele que procura as flores
para enfeitar o luto que de mim não sai
eu sou aquele que procura as flores
para deitá-las no teu jazigo
eu sou aquele que procura as flores
por não ter mais o que fazer
nos meus dias de mortal. (26/09/16)


O verso que se repete é de Sânzio de Azevedo


Sob a tua luz



Lua Clara
Tuas fases entre linhas
Vão se entortando
Fazendo-me ver o mapa da tua geografia
Não duvide deste poeta
Meu olho cego ver
Sob a tua luz
Meu olho cego já leu a mão de Paulo Freire
Já seguiu o andor de uma santa
Na voz de Chico César
Lua Clara
Sempre nova
Meu olho cego ver
E ler
Deixe-o na tua mão
Vivo sob a tua luz
Não o destine ao teu gatinho de estimação. (31/10/16)

Pesadelo

vi a namorada do meu filho
pendurada pelo pé num armador
um lençol cobria-lhe a nudez
ela sorria
meu filho tinha o mesmo sorriso
uma voz dizia-me puxe o lençol
afastei-me
meu filho puxou o lençol
e a sua namorada até hoje
ninguém sabe por onde ela anda.(27/11/16)



Do nada

do nada surges
eu a acolho nos meus braços
tento ficar nos teus olhos postos em mim
meu olhar mirado na tua boca
deseja-a tanto
nem sabes
nem vais saber
do nada surges
despareces depois de seres tudo
na metafísica (in)completa das nossas vidas. (29/11/16)


terça-feira, 1 de novembro de 2016

Dívida



Beije-me enquanto vivo
Enquanto sinto
Enquanto sei
Palavras não as quero
Teu amor também  não
Deves-me um beijo
Enquanto vivo
Enquanto sinto
Enquanto sei. (23/09/16)

Uma sacada

Resultado de imagem para sagarana



Saca

Rosa

Saga

Ana

Com

Mais

Um

Fonema

Sagarana. (24/10/16)




O beijo


Resultado de imagem para beijo



teu beijo não alcançou o meu  rosto
alcançou o ar
caiu no meu ouvido
ficou lá ecoando memórias
do beijo que de fato me deste. (17/09/16)




Um desejo







"tem chão que quer ser janela"
quer abrir-se para que passe o vento
e o olhar que espera
"tem chão que quer ser janela"
para que a paisagem passe
sem se findar
"tem chão que quer ser janela"
para ver o que só mulher ver
"tem chão que quer ser janela"
para velar o sono da bela mais bela
da cidade pequena
"tem chão que quer ser janela"
por estar exausto de ser terreno baldio
"tem chão que quer ser janela"
para mudar de rotina
"tem chão que quer ser janela"
para morrer de outro jeito
"tem chão que quer ser janela"
para não ficar sob os pés
com tantas idas e vindas
"tem chão que quer ser janela "
mas nem um desejo cai sobre ele. (02/10/16)

Como há




Como és linda

Linda és

Mas não como

Como você não há

Como há

Quem coma. (24/10/16)









Para sempre




Para o amigo poeta -sacerdote Osvaldo Chaves




Celebro minha missa seca todos os dias

Deito meus mortos no meu altar

Destino minha homilia a minha solidão

Enquanto o vento brinca nas páginas do livro santo

E os meus mortos diletos guardam minha voz

Nos seus ouvidos atentos

Celebro todos os dias sem hóstia e sem vinho

Sem o corpo e o sangue de Cristo

Minha missa seca por demais espiritual

No templo que ficou em mim

Tecendo uma liturgia

Porque sou sacerdote para sempre. (09/10/16)